Estatísticas do Blog

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Após protestos, DFTrans suspende cooperativa de ônibus em Brazlândia

Cooperativa Alternativa estava rodando com 50% da frota contratada.
Manifestantes fecharam vias de acesso à região contra a falta de ônibus


O DFTrans informou nesta quinta-feira (5) que a Cooperativa Alternativa, uma das empresas que atendem a região de Brazlândia, no Distrito Federal, deixará de operar a partir desta sexta-feira (6) por determinação do órgão. A redução no número de ônibus em circulação levou passageiros a fecharem rodovias de acesso à região na manhã desta quinta.
Manifestantes colocaram fogo em pedaços de madeira e bloquearam dois sentidos de rodovia que dão acesso a Brazlândia (Foto: TV Globo/Reprodução)Manifestantes colocaram fogo em pedaços de madeira e bloquearam dois sentidos de rodovia que dão acesso a Brazlândia (Foto: TV Globo/Reprodução)
De acordo com o DFTrans, a cooperativa circula com apenas 20 ônibus, quando o contrato é para operar com 40 veículos. O G1 não conseguiu contato com a Alternativa. "A cooperativa não vai poder operar indefinidamente", disse o diretor do DFTrans, Marco Antonio Campanella. "Nossa fiscalização estará de prontidão para apreender qualquer veículo que for colocado na rua a partir de amanhã."

A empresa São José, que venceu a licitação para operar na região, vai substituir a Alternativa na operação a partir desta sexta. De acordo com Campanella, é possível que a empresa São José utilize os ônibus mais novos da frota antiga, que vão sair de circulação, para atender Brazlândia.

"A São José é a detentora da bacia no edital de licitação que está sendo concluído, da renovação da frota em todo o DF", disse. "É natural que a São José seja contemplada com essa operação", afirmou.

O diretor do DFTrans afirmou que a Alternativa só poderá voltar a circular se demonstrar que tem capacidade operacional e frota completa. Segundo ele, a cooperativa vem apresentando "falhas graves" há meses. Além de frota reduzida, a empresa tem dívidas trabalhistas e corre o risco de ter os veículos apreendidos.
Campanella disse que a cooperativa tem um contrato de dez anos com o GDF, assinado na gestão anterior. "É um modelo que não deu certo, cooperativista, mas temos que conviver com esse contrato, resultado de licitação feita anteriormente", disse.
Por causa da falta de ônibus, moradores de Brazlândia fecharam duas rodovias que dão acesso à região, a BR-080 e a DF-430. O protesto – o terceiro em 24 horas – começou antes das 7h. Nesta quarta, passageiros já haviam fechado as rodovias pela manhã e fizeram um protesto na rodoviária do Plano Piloto no final da tarde. "A manifestação representa um esgotamento da população", disse Campanella.
Uma comissão formada por alguns líderes se reunia com representantes da administração para discutir melhorias no serviço de transporte coletivo. O DFTrans se comprometeu a colocar 25 ônibus em circulação nesta sexta e mais 15 na próxima segunda, para complementar o total de 40 veículos da Alternativa.
Manifestantes cercam caro que tentou furar bloqueio em via de acesso a Brazlândia, no Distrito Federal, durante protesto por causa da falta de ônibus na região (Foto: Isabella Formiga/G1)Manifestantes cercam carro que tentou furar bloqueio em via de acesso a Brazlândia, no Distrito Federal, durante protesto por causa da falta de ônibus na região (Foto: Isabella Formiga/G1)
"Apos uma reunião de duas horas com administrador, PM e dez líderes fizemos um compromisso e colocamos no papel, mas o resto do grupo [parte dos manifestantes] não aceita", disse o diretor técnico do DFTrans, Lucio Lima. Os manifestantes, porém, liberaram a as rodovias às 12h50.

Os manifestantes disseram que vão estar na rodovia de novo nesta sexta, a partir das 4h20, para acompanhar a circulação dos ônibus. Eles dizem que podem fechar as rodovias de novo, caso não haja veículos em quantidade suficiente para atender a população. "Desafio quem quiser vir amanhã contar os ônibus", disse Lima. "Prefiro prometer 20 e entregar 40 do que prometer 40 e entregar 30", disse o o diretor técnico.
Na semana passada, o GDF entregou 45 novos ônibus em circulação na região. Os manifestantes dizem, no entanto, que os ônibus atendem as linhas que ligam Brazlândia a Taguatiunga e Guará, mas não ao Plano Piloto.
TAC
Em junho, a cooperativa assinou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o DFTrans, se comprometendo a submeter toda a frota a uma vistoria técnica. A cooperativa estava impedida de vistoriar os seus veículos por estar inadimplente com o pagamento do IPVA e do licenciamento, além do seguro obrigatório.
À época, a cooperativa se comprometeu ainda a cumprir 95% das viagens programadas e alocar integralmente a frota contratada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores