Estatísticas do Blog

sábado, 7 de julho de 2012

GDF faz acordo com empresários, mas rodoviários não descartam greve

Donos de empresas afirmam que vão pagar reajuste de 7,88% até dia 13.Sindicato dos rodoviários diz que vai definir sobre greve em assembleia.

Do G1 DF
Comente agora
Os donos das empresas de ônibus do Distrito Federal assinaram nesta sexta-feira (6) documento em que se comprometem a pagar na próxima semana o reajuste de 7,88% estabelecido em acordo coletivo firmado no ano passado com os rodoviários.

A decisão foi anunciada após reunião entre os empresários, representantes do GDF e dos motoristas e cobradores e, de acordo com o diretor geral da Autarquia Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans), Marco Antonio Campanella, deve suspender a greve geral dos rodoviários, prevista para começar na próxima segunda-feira (9).

O reajuste será retroativo a 1º de maio. Campanella afirmou que, em troca, o governo se comprometeu com os empresários a aprovar no segundo semestre um novo marco regulatório para o sistema de transporte público do DF.
“Nós já encaminhamos um projeto de lei para a Câmara Legislativa, após um amplo debate com os operadores, com os empresários, com todos os segmentos da sociedade e em consonância com a nova modelagem de outorga que nós estamos licitando para o Distrito Federal.”

De acordo com o representante do Sindicato dos Rodoviários do Distrito Federal Luiz Cláudio Galvão, houve avanços nas propostas apresentadas pelo governo, mas a categoria ainda não está satisfeita e vai se reunir em assembleia no domingo (8) para definir sobre a greve. “É preciso melhorar ou a greve vai ser inevitável”, disse Galvão.
O não pagamento do reajuste de 7,88% motivou a paralisação de 24 horas que os rodoviários fizeram nesta quinta-feira (5).
Campanella afirmou que os donos das empresas e os rodoviários têm que decidir ainda sobre o desconto de pagamento desta quinta.
"Isso é uma questão que está na relação direta entre os trabalhadores e as empresas. Os trabalhadores querem o pagamento do dia parado, os empresários estão relutantes", afirmou o diretor do DFTrans
No ano passado, um acordo assinado entre os rodoviários e as empresas evitou a greve geral da categoria.
O acordo previa reajuste de 7,88% nos salários, na cesta básica e no ticket refeição feita pelas empresas de ônibus. O texto previa também as manutenção dos benefícios garantidos pela no acordo coletivo de 2010, além do pagamento de R$ 150 por trabalhador para garantir plano de saúde e de R$ 15 para seguro odontológico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores